Skip to main content
Como montar um escritório de advocacia

Como montar um escritório de advocacia

O sonho de grande parte das pessoas é ter o seu próprio negócio, é ter o seu empreendimento e ter sucesso em sua vida profissional. E esse é o sonho de todos os profissionais, incluindo os advogados mais experientes ou mesmo aqueles recém-formados. Mas afinal, como montar um escritório de advocacia?

Como montar um escritório de advocacia?

A primeira coisa que você, advogado, precisa saber e compreender é que os resultados ao empreender em um escritório de advocacia demanda tempo e dedicação. Por isso, desde o início da carreira é preciso que o advogado se preocupe em alinhar suas habilidades aos seus objetivos profissionais.

O primeiro passo é escolher entre montar o seu próprio escritório, atuar de forma autônoma ou ainda, entrar como sócio em outro escritório de advocacia. Essa é uma decisão estratégica e de extrema importância no contexto de uma caminhada profissional de sucesso. Por esse motivo, é preciso ter cuidado na hora de avaliar seu perfil e seus anseios quando o assunto é decidir começar o negócio sozinho ou em uma sociedade.

Conquistar uma quantidade regular de clientes e conjugar um bom atendimento ao acompanhamento daqueles já realizados, sendo esse um desafio que se mostra logo no início do negócio. No entanto, vale ressaltar que uma das principais decisões a serem tomadas nessa fase em que se está começando a montar um escritório de advocacia, que diz respeito à própria estrutura do negócio.

Leia mais:
O que é diligência e como atuar como correspondente jurídico

O que é usucapião?

Onde investir o dinheiro do FGTS

Advocacia autônoma

Montar um escritório de advocacia sozinho pode ser ideal para aquele advogado que tem o objetivo adquirir experiência e conquistar clientes sem precisar arcar com um grande investimento inicial. Esse modelo de negócio pode ser implementado a partir de uma estrutura bastante simples, e o profissional pode realizar grande parte de suas funções a partir de sua própria residência, desde que possua uma estrutura mínima — como um telefone fixo, um computador conectado à internet, livros e manuais de referência atualizados, bem como o básico de material de escritório.

Como montar um escritório de advocacia
Como montar um escritório de advocacia

O primeiro atendimento ao cliente pode ser realizado no fórum, em escritórios compartilhados oferecidos pela OAB ou em algum outro local de sua preferência, desde que adequado à ocasião, como por exemplo, um café.

Nesse ponto, vale ressaltar que, mesmo advogando de forma autônoma, o advogado não tem a obrigação de trabalhar sozinho o tempo todo. É possível que ele trabalhe em parceria com outros colegas, principalmente nas causas que não fazem parte de sua especialidade do profissional, por exemplo. Nesse sentido, o trabalho em equipe, bem como a divisão dos honorários advocatícios, acontece de forma pontual, dependendo de cada caso.

Outra vantagem no que diz respeito a montar um escritório de advocacia autônomo, ou seja, de forma autônoma, está relacionado ao networking que você pode criar a partir de uma rede de bons parceiros, afinal, advogar de forma autônoma não significa trabalhar sozinho. Com parcerias profissionais você pode conseguir multiplicar sua carteira de clientes sem a necessidade de dividir os lucros, como em uma sociedade tradicional.

No entanto, nem tudo são facilidades. O advogado autônomo precisa ser extremamente eficiente no que se diz respeito a gerenciar e delegar tarefas, isso porque muitos profissionais se perdem na hora de administrar esse aspecto, contratando muitos colaboradores de apoio sem conseguir gerenciá-los, comprometendo assim, a própria atividade de advogar.

Com a presença dos processos eletrônicos e a carência de prazos, a advocacia é considerada uma atividade bastante dinâmica. Por isso, você pode ter certeza que dificilmente conseguira prosperar fazendo tudo sozinho, pois, são muitas tarefas a serem realizadas, que se tornam muito mais simples quando se tem parcerias. Ainda que você não deseje contar com um sócio e uma estrutura tradicional de escritório, aprenda a ter uma base de apoio capaz de ajudá-lo com as tarefas diárias.

Sociedade de advogados

A sociedade implica que, em regra, todo o trabalho e os respectivos honorários sejam compartilhados e repartidos entre os sócios, sendo que esse valor geralmente, é correspondente à sua parcela na sociedade. Por isso, é fundamental que o advogado escolha colegas de profissão de sua confiança, que tenham uma rotina de trabalho semelhante à sua. A principal vantagem em montar um escritório de advocacia em sociedade, é o corte de custos administrativos e a unificação da base de clientes, criando, assim, um ambiente de trabalho mais estável.

Considere, por exemplo, que um advogado autônomo já tenha uma quantidade de processos e uma base de clientes no limite do que tem a capacidade de administrar sozinho. Nesse caso, poderá alugar uma sala de escritório e contratar uma secretária, funcionários administrativos ou um estagiário.

Entretanto, é possível que todas essas providências venham a atrapalhar sua atividade de advogado, uma vez que ficará administrando sua equipe, a ponto de inviabilizar sua própria subsistência. Com a criação de uma sociedade, esses custos podem ser divididos e o impacto tende a ser bem menor, especialmente nas contas de profissionais em início de carreira.

Para montar um escritório de advocacia em sociedade é preciso que tudo esteja alinhado com o ritmo de seu sócio (ou sócios) para que o trabalho possa fluir com a devida produtividade e eficiência. É preciso que os valores e missão da sociedade estejam devidamente alinhados para que questões burocráticas menores não tomem tempo e atrapalhem o trabalho do escritório de advocacia.

Hoje, o mercado jurídico possui com um grande número de profissionais – são cerca de 70 mil advogados formados todos os anos – tornando a competição bastante acirrada. Independentemente de atuar sozinho ou em sociedade, é preciso ser eficiente na prestação de seus serviços, com o objetivo de atender os reais interesses do cliente e atuando de forma ética e transparente para ganhar reconhecimento e conseguir prosperar em seu escritório de advocacia.

Esses valores são traduzidos no bom atendimento ao cliente e baseado em um relacionamento transparente e ético, na qualidade da representação judicial dos interesses por ele defendidos e na redução dos custos para o cliente. Com relação a esses pontos, é essencial destacar o papel da advocacia correspondente, na medida em que se ganha tempo e economiza dinheiro tanto para o cliente como para o próprio advogado ou escritório.

Agora que falamos sobre as diferenças entre abrir um escritório de advocacia sozinho ou em sociedade, é preciso falarmos sobre o planejamento, afinal de contas, sem um bom planejamento, não há negócio que tenha futuro.

Montando um escritório de advocacia 

O planejamento

O primeiro passo para quem deseja montar seu próprio escritório de advocacia é elaborar um planejamento. Uma ferramenta que pode auxiliar muitos advogados empreendedores é o plano de negócios, esse um documento que descreve o empreendimento, ajuda a traçar suas estratégias operacionais e a projetar os resultados financeiros.

No caso de um escritório de advocacia, elaborar um plano de negócios significa que é preciso passar pelos seguintes questionamentos: qual a melhor localização para montar o meu escritório de advocacia, quantos colaboradores terá em meu escritório; quem são meus clientes; como serão prestados os serviços; qual será minha área de atuação; quais serão minhas estratégias para prospecção, quais serão minhas estratégias de divulgação; quem são meus concorrentes e como vou lidar com eles.

A partir da criação de um plano de negócios o advogado pode contar com todos os elementos para determinar qual o investimento necessário para tornar seu negócio real e qual a viabilidade de montar o seu escritório de advocacia.

O investimento no escritório de advocacia

Com o planejamento em mãos, o advogado – seja de forma autônoma ou em sociedade – já consegue ter uma boa visão de seu negócio e do quanto será necessário investir para montar o seu escritório de advocacia.

Hoje em dia, o mercado possui inúmeras facilidades para quem pretende começar a empreender, em especial, em uma estrutura pequena. Se antes o advogado era praticamente obrigado a alugar ou comprar um espaço próprio para ter o seu escritório de advocacia, atualmente, já é possível contar com a estrutura dos coworkings que permitem que o advogado usufrua de um espaço sem ter que investir em locação, aquisição ou mesmo mobiliários.

Alguns advogados, por outro lado, se sentem um pouco incomodados com as estruturas informais dos coworkings, pois acreditam que elas acabam prejudicando a imagem da profissão. Para esses casos, em que há pouco muito capital para se investir, é possível encontrar alternativas bem mais acessíveis como o aluguel compartilhado do espaço com outros advogados autônomos para a montagem de um escritório de advocacia.

A compra de mobiliário é outra questão a ser resolvida para quem quer ter seu próprio escritório de advocacia. Nesse caso, se o seu problema é baixo valor para se investir, é possível encontrar lojas especializadas em móveis de escritórios usados que podem ter um custo bastante acessível. É preciso pesquisar bem sempre com o objetivo de encontrar algo que esteja dentro de suas capacidades financeiras.

Financiamento

Além dos custos iniciais necessários para a montagem física de um escritório de advocacia, existem ainda os custos para mantê-lo funcionando. Esse é o chamado capital de giro, que é necessário para fazer com que o escritório de advocacia possa se consolidar no mercado. É exatamente nesse quesito que muitos advogados se sentem inseguros.

Se você não detém um capital acumulado para que sirva de capital de giro, o recomendando é que você busque um financiamento. Bancos, governo e até instituições financiadoras dispõe de crédito a juros baixos que podem ser o auxílio fundamental para seu negócio alavancar e você conseguir montar o seu escritório de advocacia.

Treinamento

Após montar o seu escritório de advocacia, é preciso que você invista em treinamento, mas não apenas no seu aperfeiçoamento e especialização em sua área, é necessário que toda a equipe que compõe o seu escritório de advocacia esteja alinha com os princípios e missão de sua empresa.

Como montar um escritório de advocacia
Como montar um escritório de advocacia

Para isso, você não tem necessariamente que pagar empresas que promovem treinamentos para funcionários, obviamente, se você tiver condições financeiras de fazer isso, será excelente para melhorar a apresentação de sua empresa como um todo.

Caso contrário, a realização de reuniões frequentes no qual você sempre irá apresentar os valores de sua empresa será o suficiente para começar o treinamento de sua equipe de colaboradores em seu escritório de advocacia.

Exigências legais para a montagem de um escritório de advocacia

Para abrir escritório de advocacia é necessário que os profissionais e a empresa estejam devidamente regularizados pela OAB, de acordo com a Lei nº 6.839/1980, “o registro de empresas e dos seus profissionais legalmente habilitados serão obrigatórios nas entidades competentes para a fiscalização do exercício das diversas profissões”.

Antes de registrar o escritório de advocacia, é necessário que seja realizada uma pesquisa prévia para se certificar que não existe outra empresa com o mesmo nome ou com um nome parecido ao escolhido.

Abaixo está a lista com os principais órgãos que você terá que recorrer para abrir o seu escritório de advocacia:

INPI: consulta sobre registro de marcas e patentes – http://www.inpi.gov.br/;

Junta Comercial: registro do empresário individual e enquadramento como empresa (estadual);

Secretaria da Receita Federal: criação do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) – http://idg.receita.fazenda.gov.br/;

Prefeitura Municipal: alvará de funcionamento;

Previdência Social: cadastro da empresa e os responsáveis legais – http://www.previdencia.gov.br/;

Secretaria Estadual da Fazenda: registro da empresa;

Caixa Econômica Federal: cadastro no sistema Conectividade Social – http://www.caixa.gov.br/;

Corpo de Bombeiros: autorização de funcionamento (estadual);

Ordem dos Advogados do Brasil: registro do contrato social da empresa junto à OAB – http://www.oab.org.br/.

Além dessas exigências, por ser uma atividade de caráter público, ao abrir escritório de advocacia, ainda é preciso seguir uma legislação específica. O setor é regulado pela Lei nº 8.906/1994 que trata sobre os dispositivos constitucionais aplicáveis, regulamenta a profissão de advogado, entre outros pontos.

como_montar_um_escritorio_de_advocacia

Diligeiro

A forma mais rápida, prática e segura de encontrar correspondentes

4 thoughts to “Como montar um escritório de advocacia”

  1. Gostaria de sugerir que vocês abram um espaço para que advogados interessados em fazer uma sociedade ou que já possuem escritório e precisam de sócio, possam se corresponder pois o mais difícil é encontrar colegas que precisam de sócios e, que queiram fazer uma sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *