Skip to main content
6 mitos sobre eleições

6 afirmações erradas sobre eleições que você provavelmente já ouviu

Em 2018, vamos escolher um novo presidente (além de novos governadores, senadores e deputados), por isso, vale rever algumas informações que circulam nessa época. Selecionamos 6 afirmações erradas sobre as eleições que você provavelmente já ouviu.

1. Voto em branco vai para quem está ganhando

O voto em branco não é um voto válido e por isso não é atribuído a qualquer candidato. Por esse motivo, ele não é atribuído a quem está na frente.

No entanto, os votos em branco podem influenciar indiretamente o resultado da eleição.

O voto em branco pode favorecer algum candidato?

Indiretamente, sim. Apesar do voto em branco não ir diretamente para nenhum candidato, quanto maior for o número de votos em branco ou nulos, menos votos válidos serão necessários para vencer a eleição. Isso pode gerar consequências na forma como a eleição será definida, se irá ou não para o 2º turno, por exemplo.

Consequências dos votos em branco

Quando há muitos votos em branco ou nulos, o número de votos válidos é reduzido, permitindo que a eleição seja definida logo no primeiro turno. Veja o exemplo abaixo:

Em uma suposta cidade com 20 eleitores e 3 candidatos, quando não houver nenhum voto em branco ou nulo, será eleito aquele que conseguir mais de 50% dos votos válidos, neste caso 11 votos.

Na mesma cidade, com os mesmo 20 eleitores e 3 candidatos, e 3 eleitores votarem em branco e 1 eleitor votar nulo, o número de votos válidos necessários para ser eleito cai para 9.

Portanto, os votos em branco ou nulos não vão para o candidato que está ganhando, mas pode interferir matematicamente no resultado da eleição.

2. Votos nulos podem anular a eleição

Esta informação errada está fundamentada na confusão entre voto nulo e nulidade do voto.

Os votos nulos não são considerados válidos e por isso não contam para a apuração do resultado.

A nulidade do voto acontece quando é confirmada alguma fraude no processo eleitoral. Neste caso, a eleição pode ser anulada.

O que pode anular uma eleição?

A realização da votação em um local que não foi determinado pelo Juiz Eleitoral;
o uso de cédulas de votação falsas;
a realização da votação em dia, hora ou local diferentes do estabelecido por lei;
o encerramento antes das 17 horas;
a violação do sigilo da votação;
o extravio de algum documento essencial para a eleição;
o impedimento ou restrição do direito de fiscalização da eleição;
o voto do eleitor em outra seção que não a designada no título;
o uso de falsa identidade no lugar de outro eleitor;
a comprovação de fraude na urna eletrônica.

3. Nas eleições, quem tem mais votos é eleito

Nas eleições para vereador, nem sempre o candidato com mais votos é eleito, porque a eleição para esse cargo é definida através de um sistema diferente: o sistema proporcional (é possível votar no candidato ou no partido).

O quociente eleitoral e o quociente partidário são determinantes na eleição dos vereadores e na distribuição das vagas.

Para saber mais, acesse o artigo “Por que um candidato com menos votos que outro pode ser eleito?”, do site Toda Política

4. Depois da eleição é possível saber em qual candidato o eleitor votou

Quando a eleição termina, é impresso um boletim de urna, que contém um registro com os votos e o número de eleitores (além de outras informações sobre a eleição). Esse boletim é afixado na seção eleitoral, sendo disponibilizado para os fiscais.

Os votos aparecem de forma aleatória, desta forma a Justiça Eleitoral garante que não é possível ligar o voto ao eleitor.

Ainda tem dúvidas? Veja como funciona a apuração de votos.

5. Quem não votou na última eleição não pode votar

Não necessariamente. A lei eleitoral indica que uma pessoa que não vota em três eleições consecutivas tem o seu título de eleitor cancelado, não podendo votar. Nestes casos, cada turno conta como uma eleição. Assim, se uma pessoa não votar no primeiro e no segundo turno de uma eleição, terá que votar na próxima eleição, ou terá o seu título cancelado.

O mesmo se aplica aos turnos. Quem não votou no primeiro turno, poderá ou não votar no segundo, dependendo se a ausência do voto foi a segunda ou terceira seguida.

Aprenda como consultar a sua situação eleitoral.

6. Ninguém pode ser preso durante as eleições

É verdade, porém há exceções. Cinco dias antes das eleições até 48h depois do fim da votação, eleitores não podem ser presas, a não ser caso de flagrante delito, por motivo de sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto.

6 mitos sobre eleições

Diligeiro

A forma mais rápida, prática e segura de encontrar correspondentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *