Skip to main content

Albert Einstein: a inspiração para sua vida

Sinônimo de inteligência, inspiração e quebra de velhos paradigmas, pode-se dizer que Albert Einstein foi sem dúvida um dos maiores ícones do século passado e certamente um dos mais importantes cientistas que se tem conhecimento. Suas teses e comprovações sobre o tempo e espaço, bem como a assustadora energia que se esconde no interior do átomo, foram descobertas que mudaram para sempre o rumo de pesquisas no campo científico.

O que muitos não sabem é que, por trás do gênio, existiam características tão humanas e cativantes que podem nos ajudar entender a visão de mundo que Einstein tinha e a ver como essas qualidades podem ser importantes para cada um de nós.

Complexidades vistas do ponto mais simples

Einstein acreditava que a mentalidade infantil era a representação do espírito científico na sua pureza maior. Os seus experimentos mentais mostravam exatamente como era a sua visão ao observar a natureza: com os olhos de uma criança.

Com o passar do tempo, conforme envelhecemos, vamos perdendo essa capacidade, pois passamos a preencher a nossa mente com uma série de ideias preconcebidas, que é a forma como os adultos encaram o mundo. A fim de manter aceso essa força do questionar, Einstein direcionou o seu foco no poder das respostas simples e ao mesmo tempo profundas.

As chances da maioria de nós produzirmos ideias tão complexas a partir de premissas tão comuns como Einstein fazia são quase nulas. Porém, essa forma de pensar serve para diversas aplicações, como enxergar o simples em meio às complicações para nos posicionarmos melhor diante de dificuldades e enfrentarmos com mais vigor as adversidades que se nos apresentam.

Como se empenhar pelo que realmente lhe traz satisfação

Quantos não estão atrelados a carreiras e ambientes profissionais mais por obrigação ou necessidade do que pelo prazer de fazer o que se gosta? Muitos passam por essas situações durantes anos ou mesmo a vida toda, se empenhando em coisas que não lhe trazem felicidade. Com Einstein também não foi diferente durante um certo período de sua vida.

Antes de se tornar mundialmente conhecido, o físico trabalhava num escritório de patentes em Berna, lidando com várias documentações que precisavam ser cuidadosamente analisadas em meio a uma série de burocracias envolvidas. Mas nada disso impediu que ele desse asas à sua imaginação e praticasse aquilo que ele realmente amava: a física. Nada lhe foi imposto; ele desenvolvia as suas teses e análises por mera paixão.

O exemplo que Einstein nos dá nesse sentido é que devemos sim abraçar nossas vocações e não desistirmos facilmente delas mesmo quando as circunstâncias não se mostram favoráveis. Obviamente, dependendo do objetivo que traçamos, talvez não seja algo tão simples de alcançar, e certamente teremos de nos submeter a tarefas que não nos trazem a satisfação que gostaríamos.

Vale lembrar que Einstein, como todos nós, tinha contas a pagar e precisava daquele emprego no momento, e por isso não agiu de forma irrefletida, simplesmente jogando tudo para o alto e correndo atrás de um sonho. Foi muito perspicaz ao continuar em seu desprazermos trabalho; contudo, não permitiu que ele o levasse a perder de vista o que realmente lhe fazia sentir prazer. O resultado todos nós conhecemos bem: uma das carreiras científicas mais brilhantes e bem-sucedidas da história.

Fonte: 25 Grandes gênios da humanidade – como a vida deles pode inspirar a sua, de Salvador Nogueira

banner_cadastro_post_blog

Diligeiro

A forma mais rápida, prática e segura de encontrar correspondentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *